segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Brasil apoiará na CITEL faixa de 5275-5450 kHz para Serviço de Radioamador


Foto da palestra proferida pela LABRE/GDE a respeito dos 5 MHz na Anatel/CBC.


A Anatel oficialmente defenderá alocação secundária para o Serviço de Radioamador entre 5275 kHz e 5450 kHz na próxima reunião da CITEL (Comissão Interamericana de Telecomunicações da Organização dos Estados Americanos - OEA), a ser realizada no final do mês em Mérida, México.

A nova faixa em base secundária para o Serviço de Radioamador em torno dos 5300 kHz é discutida desde 2012 como item de agenda 1.4 da Conferência Mundial de Rádio de 2015 (CMR-15) da União Internacional de Telecomunicações (ITU). 

A aprovação da proposta enviada pela LABRE ocorreu na sede da Anatel em Brasília, dia 11 de setembro de 2014, durante reunião ordinária da CBC (Comissões Brasileiras de Comunicações, Grupo de Radiocomunicação).

A CBC é um fórum nacional liderado pela Anatel, composto por membros do governo federal, das associações setoriais, indústria, academia e especialistas onde são discutidos, estudados e sugeridos itens de agenda das CMR(s), encontros da CITEL e Mercosul

A proposta brasileira será apresentada na CITEL como uma Preliminary Proposal e contará com uma nota de rodapé que viabiliza as administrações nacionais para tomarem medidas adicionais de gestão, através de suas normas específicas, para incrementar a compatibilidade entre os serviços existentes diante das realidades e ocupações espectrais locais (como restrições nas potências de emissão, modos, frequências, canais, classes operacionais, etc). 

O Brasil será o primeiro país da Região 2 a adotar a opção mais abrangente de faixa contínua entre as sugeridas pelos grupos de estudos na UIT (vide gráfico abaixo).

Representação gráfica das opções de ocupação secundária pelo
Serviço de Radioamador para o item 1.4 da CMR-15.



Espera-se durante a reunião da CITEL tendência pela composição de uma proposta unificada. Se ela obtiver adesão de mais de 6 países e assim manter-se até a CMR-15, ela se tornará uma IAP (Interamerican Propostal) representativa do continente americano para ser apresentada na conferência mundial em novembro de 2015 em Genebra, Suíça.

A delegação brasileira para a CITEL está em formação e no momento conta com presença de membros do governo federal e de 18 representantes da sociedade civil e indústria. Várias reuniões bilaterais também estão planejadas para serem realizadas durante encontro.

Importante: mesmo o Brasil apoiando a faixa para os radioamadores na CITEL, isso não significa sua aprovação imediata no Brasil. Portanto continua valendo o determinado pelo PDFF (Plano de Destinação de Faixa de Frequências da Anatel), sem atribuição aos radioamadores. A decisão nacional dependerá também do que for aprovado internacionalmente na CMR-15, ou seja, é um assunto em desenvolvimento e negociação.

Embora Brasil e Canadá (com a atuação da RAC) sejam os primeiros países a externarem posturas oficiais na CITEL, alguns países na Região 2 já atribuíram segmentos ou canais em regime doméstico, resultado de prévias atividades experimentais que reforçaram a viabilidade da ocupação compartilhada. A LABRE solicitou licenças experimentais este ano, cujo processo de autorização está em curso internamente na Anatel.

A LABRE, através do grupo de Gestão e Defesa Espectral (GDE), atua na CBC em defesa da manutenção e ampliação das faixas dos radioamadores, em consonância com a pauta das conferências e regulamentos internacionais, integrada à IARU (International Amateur Radio Union).




Este trabalho recebe apoio da LABRE São Paulo, além de colaboradores que auxiliam regularmente o GDE para manter suas atividades institucionais. Conheça e apoie o GDE e a LABRE. 

Maiores informações em: http://www.radioamadores.org/

Os slides da última palestra proferida pelo GDE na Anatel já estão disponíveis na biblioteca do grupo.


Fonte:



 

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Frequências para D-STAR em HF

Eu escrevo este post para alertar os colegas Radioamadores que as frequências aonde são permitidos QSOs em D-STAR não são as mesmas frequências aonde normalmente se faz QSOs em SSB.

Isso significa que se dois colegas Radioamadores desejarem mudar o modo de operação de SSB para D-STAR deverão também mudar a frequência.

De acordo com a legislação brasileira, o modo D-STAR deve ser encarado como "modo experimental" e por isso, o emprego deste modo deve se dar nas faixas de frequências já previstas:


Faixa de 160m: de 1810 a 1820kHz
Faixa de 80m:
de 3525 a 3580khz
Faixa de 40m:
de 7120 a 7140kHz
Faixa de 20m:
de 14115 a 14350Khz
Faixa de 17m:
de 18119 a 18168KHz
Faixa de 15m:
de 21150 a 21450KHz
Faixa de 12m:
de 24930 a 24990KHz
Faixa de 10m:
de 28700 a 29300Khz


Os QSOs em modos experimentais não devem interferir nos QSOs em modos prioritários das faixas de frequências citadas.


Consulte:



Dupla tempestade solar ruma à Terra e preocupa cientistas

Uma rara explosão dupla de tempestades solares magneticamente carregadas vai atingir a Terra nesta Sexta-Feira (12/09/2014), causando preocupações de que sinais GPS, comunicações por rádio e transmissões de energia possam ser interrompidos, disseram autoridades nesta quinta. Individualmente, as tempestades, conhecidas como ejeções de massa coronal, ou CMEs, não justificariam advertências especiais, mas o curto intervalo atípico e sua rota direta para a Terra levaram o Centro de Previsão Climática dos Estados Unidos (SWPC) a emitir um alerta.

Dado ao nível de intensidade geomagnética esperado, essas tempestades "poderão provocar problemas nas comunicações por rádio e sinal de GPS, assim como irregularidades na voltagem da rede de distribuição elétrica", disse Thomas Berger, diretor do centro. Os efeitos seriam mais sentidos nas regiões próximas aos polos, onde as interações com o campo magnético terrestre são mais fortes. "Nós não esperamos nenhum impacto incontornável à infraestrutura nacional, mas estamos acompanhando de perto", acrescentou Berger.



Imagem feita pelo Observatório de Dinâmica Solar da agência espacial americana, Nasa, mostra as condições atuais de "tranquilidade" da coroa solar e a região de transição do Sol, sem a presença de explosões 



O Sol está atualmente no pico de seu ciclo de 11 anos, embora o nível de atividade esteja menor do que o típico para um pico solar. Tempestades como as que agora rumam para a Terra ocorrem entre 100 e 200 vezes durante um ciclo solar de 11 anos, explicou Berger. Para o cientista, a imprevisibilidade da dupla explosão solar exige uma maior preocupação. "O fato único sobre este evento é que nós tivemos dois em rápida sucessão e as CMEs poderiam estar interagindo em seu caminho para a Terra, na órbita da Terra ou além. Nós simplesmente não sabemos ainda", disse ele. O SWPC estima que os efeitos das tempestades ainda serão sentidos no planeta no sábado.

No lado positivo, os eventos solares devem provocar belas auroras nas regiões polares, incluindo o norte dos Estados Unidos e do Canadá.

Histórico – Em 2012, uma forte tempestade solar quase atingiu a Terra, colocando em sério risco todo o sistema de redes elétricas e ameaçando "reenviar a civilização contemporânea ao século XVIII", revelou a Nasa em julho. A agência espacial americana estima que o impacto de uma tempestade solar como a de 1859 – conhecida como "evento Carrington" – custaria à economia mundial dois trilhões de dólares e provocaria danos sem precedentes em um mundo inteiramente dependente da eletricidade e da eletrônica.





quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Novos certificados WAC recebidos


É com alegria que recebo mais três certificados WAC (Worked All Continents) para as bandas de 30m (10MHz), 17m (18MHz) e 12m (24MHz).

O WAC é um prêmio concedido pela IARU (International Amateur Radio Union) aos Radioamadores que comprovarem ter realizados contatos com todos os continentes.

Obrigado a todos os radioamadores que entendem que a troca de cartões QSL é a parte final e mais a importante de um QSO!

Todos os outros certificados WAC recebidos podem ser conferidos em:
http://picasaweb.google.com/py3it.andre/WAC



quarta-feira, 10 de setembro de 2014

ABNT e Inmetro aprovam normas de contenção das rádio interferências vindas dos sistemas de iluminação



 




A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) publicou no dia 21 de agosto de 2014 a norma ABNT NBR IEC/CISPR 15, sobre “Limites e métodos de medição das radioperturbações características dos equipamentos elétricos de iluminação e similares”. Trata-se do reconhecimento e nacionalização da consagrada norma internacional CISPR 15, redigida com o intuito de determinar limites de emissividade de lâmpadas, inclusive com a tecnologia LED.



No mesmo mês, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) publicou no Diário Oficial da União a Portaria do MDIC/Inmetro número 389 de 25/08/2014 sobre “Requisito Técnico de Qualidade das Lâmpadas de LED com Dispositivos de Controle Integrados à Base”, com exigências sobre segurança, eficiência energética e compatibilidade eletromagnética (EMC) baseando-se na CISPR-15. A produção e comercialização destes produtos no Brasil deverão seguir obrigatoriamente os critérios técnicos de EMC. Os prazos e métodos de avaliação serão organizados por meio de um RAC, o Regulamento de Avaliação e Certificação.



Ambos resultados tiveram direta intervenção da LABRE através do GDE, grupo de Gestão e Defesa Espectral, demandando participação em várias reuniões das comissões de estudos no Comitê Brasileiro de Eletricidade (CB-03) do Comitê Brasileiro de Eletricidade, Eletrônica, Iluminação e Telecomunicações (COBEI) na cidade de São Paulo, bem como debates e consultas públicas realizadas pelo Inmetro na cidade do Rio de Janeiro.



Todo trabalho foi apoiado pela LABRE São Paulo, além de colaboradores que auxiliam regularmente o GDE para manter atividades institucionais com intuito de reduzir as interferências no espectro eletromagnético. 






Webinar sobre Radioescotismo


No dia 17 de Setembro, das 22h até as 23h (Horário de Brasília) acontecerá o seminário on-line (webinar), em inglês,  sobre Radioescotismo chamado "O que é Radioescotismo e o que significa para mim"? (What is Radio Scouting and What Does it Mean to Me).  O conferencista será  Jim Wilson, K5ND.

A realização do webinar é do The World Wide Radio Operators Foundation (WWROF).

O link para se registrar é: 

 
radio_scouting_flagge



segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Acabou a choradeira: aprenda Código Morse (CW) On-line!



O excelente site Learn CW Online utiliza o Método Koch para ensinar Código Morse gratuitamente.

O Método Koch inicia com as letras "M" e "K" e vai adicionando um novo caracter a cada lição. O estudante é apto a passar para uma nova lição quando copiar a transmissão com mais de 90% de acerto. São 40 lições no total. Para cada lição é gerado um arquivo de áudio mp3 que pode ser escutado no próprio site ou baixado para ser escutado em outro momento.

O site também apresenta outras opções: treino de indicativos, textos, treino com grupos de caracteres pré-definidos.

O usuário ainda pode controlar a velocidade dos caracteres, fazendo o site valoroso mesmo para quem não é iniciante e deseja estudar a recepção de Código Morse em velocidades maiores.

O usuário pode escolher o idioma do site. Para aqueles que não falam inglês, o site apresenta o idioma Português de Portugal. Usuários brasileiros não terão problemas. Acabou a choradeira!


sexta-feira, 8 de agosto de 2014

LABRE participa de Consulta Pública da Anatel sobre uso de radiofrequências


A Anatel disponibilizou para consulta pública até julho de 2014 a “Proposta de Regulamento de Uso do Espectro de Radiofrequências e de alteração do Regulamento de Cobrança de Preço Público pelo Direito de Uso de Radiofreqüências”. Trata-se de um regulamento muito importante onde são estabelecidos os métodos de solução de conflitos quando ocorrem interferências eletromagnéticas. 

A LABRE participou da consulta pública através do grupo ad-hoc de Gestão e Defesa Espectral (GDE). Foram propostas 12 alterações que basicamente objetivam maior reconhecimento e alinhamento do Brasil com os métodos já previstos nos Regulamentos de Rádio (RR) da UIT, inserindo no contexto da resolução de conflitos aqueles derivados de interferências provindas de equipamentos não dedicados às telecomunicações.

Algumas das modificações propostas:


1) Inclusão do “desenvolvimento do ensino”, “treinamento tecnológico e operacional”, bem como a “viabilização das comunicações emergenciais” entre os objetivos principais do uso de rádio frequências, todos relacionados com o radioamadorismo;

2) Especificação que a Anatel ao “atribuir, destinar ou distribuir faixas de radiofreqüências” deve também observar os “Regulamentos de Rádio da UIT”, documento indispensável para gestão espectral, atualizado internacionalmente a cada Conferência Mundial de Rádio;

3) Quando da “elaboração e atualização do Plano de Atribuição, Destinação e Distribuição de Faixas de Frequências”, a Anatel deve também “viabilizar o desenvolvimento e atualização dos serviços existentes e suas aplicações”, e não tão somente “viabilizar o surgimento de novos serviços e aplicações” tal como exposto originalmente, aumentando a isonomia nas atualizações técnico-jurídicas entre diferentes serviços (novos e existentes);

4) Ao especificar o “direito de uso de radiofrequências, faixa ou canal de radiofrequências associada ao direito de exploração de satélite”, contextualizar que quando “associadas a satélites do Serviço de Radioamador está condicionada à prévia coordenação e disciplinada nos termos da regulamentação específica do serviço”;

5) Inclusão de item ao qual, “se a origem da interferência prejudicial for derivada dos demais equipamentos elétricos e eletrônicos, conectados ou não a redes de comunicação, o responsável pela fonte interferente deve imediatamente cessar a sua operação e proceder aos ajustes necessários para eliminar a interferência prejudicial”, tendo como base “estudos e contenção das interferências as recomendações dos organismos nacionais e internacionais reconhecidos”, sujeitando os infratores às sanções conforme modificações propostas nos artigos correlatos. Tal entendimento é previsto pelo RR de forma que os serviços licenciados de rádio sejam protegidos de fontes interferentes, que podem ser tão ou mais prejudiciais quanto os demais serviços em conflito espectral.


Além da LABRE participaram da consulta a Embratel, Tim, Claro, Vivo, Abert, Globo, Echostar, Sky, Abrasat, TelComp, CTBC, entre outros.


Para maiores detalhes sobre estas e outras propostas, visite o site da Anatel dedicado às consulta públicas em: http://sistemas.anatel.gov.br/sacp/



terça-feira, 29 de julho de 2014

LABRE defende contenção das rádio interferências vindas da iluminação pública




LABRE e ILUME


A prefeitura de São Paulo está planejando uma das maiores PPPs (Parceria Público Privada) do Brasil. Ela será responsável pela substituição de todo o parque de iluminação pública da cidade (mais de 600 mil pontos) por lâmpadas de LED e a instalação de um Centro de Controle Operacional.

A LABRE, Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão, por intermédio do GDE, grupo ad-hoc de Gestão e Defesa Espectral, participou em maio de 2014 do evento Wireless Mundi, coordenado pelo portal Telesíntese, no Hotel Macksoud Plaza em São Paulo.

A entidade pode expor publicamente e ao Secretário de Obras Públicas do Município de São Paulo, Simão Pedro Chiavetti - também presente no evento como palestrante - quão importante são os quesitos de compatibilidade eletromagnética (EMC) para que as futuras luminárias e sistemas de controle não provoquem rádio interferências.

Todo equipamento eletroeletrônico e de iluminação tem potencial de gerar interferências. Para que eles operem de maneira harmonizada, foram instituídas normas internacionais de compatibilidade eletromagnética.

Desenvolvidas e atualizadas pela IEC (Comissão Eletrotécnica Internacional, em inglês: International Electroelectronic Comission), estas normas estabelecem limites de emissividade das perturbações eletromagnéticas a serem respeitados por todos produtos no escopo da legislação. Assim o equipamento, já no estágio de projeto e produção industrial, deverá atender a este quesito, sendo padronizado em qualidade antes que entre no comércio mundial. Desta maneira o espectro - bem público limitado - recebe uma primeira proteção contra interferências.

Para o caso da modernização no sistema de iluminação e controle, as normas indicadas foram a CISPR-15 (Limites e métodos de medidas das características de rádio perturbações de iluminação elétrica e equipamentos similares) e CISPR-22 (Equipamento de tecnologia da informação. Características de radioperturbação. Limites e métodos de medição).

Para a efetividade destas leis em nível nacional é necessário que os contratantes de equipamentos e serviços (como os municípios, estados e governo federal) exijam a boa qualidade dos produtos a serem adquiridos e mantidos.

A LABRE protocolou na prefeitura paulista um documento sobre o assunto, onde foram elencados os benefícios obtidos quando os produtos e redes respeitam quesitos de EMC. Entre eles estão “a redução da emissão desnecessária de poluição eletromagnética, não prejudicando comunicações de interesse social, público e emergencial”; “melhor condição de adaptabilidade e interoperabilidade entre sistemas, por exemplo, com equipamentos e comandos em Smart Grid e IoT (Internet das Coisas), em redes compatíveis eletromagneticamente” e aumento na “durabilidade das luminárias e sistemas correlatos, por acrescentar resistibilidade às perturbações elétricas. Isso reduz custos públicos de manutenção e aquisição de novos equipamentos substitutos”.

No final de junho de 2014, a LABRE foi recebida pelo Diretor Geral da ILUME, José Alberto Sena Almeida, para troca de informações. A expectativa é que a prefeitura incorpore em suas documentações técnicas as referências normativas de EMC, oferecendo assim proteção ao espectro eletromagnético, bem como a melhoria na qualidade do produto a ser contratado e serviço a ser oferecido para a população de São Paulo.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Diploma de participação nas atividades de comemoração de 80 anos da LABRE

Eu quero agradecer a LABRE Central e a LABRE do Rio Grande do Sul pelo envio do diploma alusivo a minha participação nas atividades de comemoração dos 80 anos de atividade da LABRE.

Eu me sinto muito honrado de poder contribuir com a LABRE e espero poder continuar contribuindo.