quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Carta aberta ao Presidente da LABRE Central

Prezado Sr. Presidente da LABRE,


No plano de expansão do Ministério das Comunicações  da Banda Larga no Brasil, publicado através do documento entitulado "O Brasil em Alta Velocidade" o serviço de Internet pela rede elétrica é mencionado como uma das soluções. Neste documento, é citado que o Serviço de Radioamador poderá ser operado em caráter secundário. Caso este fato se concretize, não é necessário comentar, o enorme prejuízo que nós Radioamadores iremos sofrer.

O trecho em questão está na página 85:

(...)
No Brasil, a tecnologia PLC deve ser considerada devido à grande capilaridade das redes de distribuição de energia elétrica no país e à recente regulamentação de seu uso. Em abril de 2009 a ANATEL publicou a Resolução 527 que aprova o Regulamento sobre Condições de Uso de Radiofrequências por Sistemas de Banda Larga por meio de Redes de Energia Elétrica (BPL). O documento estabelece os critérios e parâmetros técnicos que permitem a utilização dessa tecnologia na radiofrequência entre 1.705 kHz e 50 MHz, por  meio do uso compartilhado do espectro eletromagnético com os serviços de Radioamador e o de Radiodifusão de Sons e Imagens, que poderão operar nessas faixas em caráter secundário.
(...)


Sr. Presidente, eu vejo uma grande ameaça para a nossa atividade se aproximando. Contudo, eu não estou vendo ações da LABRE. Consultando a página da entidade, não há menção a nenhuma providência sendo tomada em relação ao assunto PLC, nos moldes de como a ARRL tomou nos Estados Unidos da América. Eu peço encarecidamente de que a LABRE tome providências e que informe o que está sendo feito aos seus associados. Respeitosamente, eu acredito que é um direito de todos os associados saber das atividades da entidade que mantemos e também acredito que seja dever da LABRE defender os direitos da categoria a qual representa.

Grato pela atenção,
André PY3IT
(Filiado a LABRE)




Documento anexado: 

Satelite metereologico será desativado

Para minimizar prejuízos e perigos dos eventos climáticos extremos, que devem aumentar em número e intensidade com o aquecimento global, país precisa investir em equipamentos e pesquisas ligadas a previsão do tempo

Secas drásticas e chuvas torrenciais ocorrendo em paralelo a alguns quilômetros de distância já são sentidas em estados brasileiros como Santa Catarina e, com o aquecimento global, tais fenômenos devem se tornar mais freqüentes e intensos. Para minimizar os impactos humanos, sistemas eficientes de previsão meteorológica são imprescindíveis, porém o Brasil ainda precisa avançar para estar preparado para reagir ao que pode vir pela frente.

“Nossos radares precisam ainda de muitos investimentos. O Brasil não tem satélite meteorológico próprio e o que usamos (GOES) foi emprestado pelos EUA e será desativado no final do ano”, afirmou o coordenador do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do INPE, Luiz Augusto Toledo Machado, durante o seminário “Mudanças Climáticas e Desastres Naturais em Santa Catarina”, realizado na última sexta-feira (14).




Uma rede de radares é um instrumento básico da previsão imediata, explicou Machado, permitindo prever a curto prazo e mitigar os efeitos dos desastres naturais. “Sendo um país em desenvolvimento, sem muitos investimentos na área, nós estamos fazendo muita coisa. Mas por o país ser uma potência ecológica, ainda precisa de muitos investimentos.”

Hoje o Brasil tem cerca de 25 radares, enquanto que os Estados Unidos, por exemplo, tem 150. Machado disse ainda que os radares brasileiros não trabalham em rede e muitos nem compartilham os dados com outras instituições. Ele citou o Sistema de Vigilância da Amazônia (SIVAM), usado para monitorar o espaço aéreo da Amazônia, que tem 10 radares, porém o qual não envia imagens em tempo real para a equipe do CPTEC/INPE.


Matéria continua no site Planeta Verde

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Novo beacon em 50 mhz

Está em fase de testes um novo beacon em 50 mhz. Trata-se do PY2XW, localizado em Campinas-SP com grid locator sendo GG67LF. Ele transmite a mensagem "PY2XW GG67F" num periodo de aproximadamente 20 seg, com repouso de 15 seg. Na frequencia de 50.072 Khz, transmite com 3 watts e antena dipolo de meia onda.

Estão envolvidos na construção e instalação do sistema: Durval PY2DUN, Haroldo PY2OZF, Celso PX2J0813, Sergio e Bony PU2UDX.

O indicativo PY2XW pertenceu ao grande amigo Fernando (SK) , entusiasta dos 50 mhz e modos digitais de Campinas.

Para mais informações e fotos acesse: www.qrz.com/callsign/py2xw

Fonte:  
www.radioamador.com



Sol sem manchas solares

O Sol está sem mancha solares. A atividade solar deve permanecer em níveis baixos.







quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Manchas solares 1032 e 1033

Duas novas manchas solares (1032 e 1033) se formaram. Devido ao tamanho pequeno das mesmas, não se espera muita atividade solar.






segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Mancha solar 1031 região 1029

A mancha solar 1031 não tem produzido muita atividade e a região 1029 continua sem manchas solares. Espera-se que a atividade solar continue baixa.






domingo, 15 de novembro de 2009

Região 1029

A região 1029 retornou devido a rotação do Sol, mas desta vez sem manchas solares. Uma pequena e nova mancha, que poderá receber  o número  1031, está se formando. Espera-se que esta mancha produza algumas rajadas.





terça-feira, 10 de novembro de 2009

Mancha solar 1029

A região 1029 está aparecendo novamente na imagem da sonda solar STEREO Behind. Com a rotação do Sol, ela começará ficar visível dentro de uma semana. Será que ainda é capaz de gerar atividade como a que gerou quando bateu o recorde do Ciclo Solar 24?


Imagem da sonda STEREO Behind com a região 1029




segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Internet pela rede elétrica

No QTC da LABRE-RS do dia 08 de Novembro de 2009, foi lida a conclusão que o Dr. Archangelo escreveu em seu tutorial sobre o PLC (Internet pela rede elétrica):


O modelo proposto de PLC é uma das mais poluidoras tecnologias de comunicação da atualidade. Transforma o Brasil num depositário de dispositivos eletrônicos inaceitáveis em muitos países, um reserva de mercado internacional de tecnologia suja. Demonstra uma tendência contrária ao acesso portátil, ubíquo, convergente e abrangente sem fios em redes descentralizadas e de administração local. Reproduz um esquema antiquado de conexão fechada com intermediários comerciais cujos objetivos econômicos não são congruentes com promessas de plena democratização, sem um modelo de negócio claro para o mercado e sem padronização na qualidade de infra-estrutura.

O PLC está em sentido contrário ao state of art das pesquisas de tecnologias digitais que utilizam o espectro com baixas potências não interferentes. Ao provocar interferências em HF, desconsidera campos científicos de pesquisa em HF e ignora os demais serviços já presentes em rádio.

Ao espalhar interferências nas faixas de radiodifusão, o PLC frontalmente desrespeita o cidadão brasileiro, prejudicando o acesso a serviços públicos e gratuitos de comunicação, induzindo o setor público a um contexto de desorganização espectral, uma inversão de princípios em engenharia e atribuição de freqüências, negando perigosamente princípios constitucionais em manter o espectro adequadamente gerido, com resguardo aos serviços primários de comunicação, o dever de manter o rádio um bem público organizado e inalienável, o rádio como um ambiente adequado para atender pluralmente demandas sociais de forma harmônica entre diferentes serviços de telecomunicações, analógicos ou digitais, bem como de preservar de fato as comunicações emergenciais e das forças armadas, não tornando parcela valiosa do espectro brasileiro numa cacofonia de potentes interferências comerciais PLC de larga ocupação espectral.

O Conselho Diretor da ANATEL agiu irresponsavelmente ao aprovar uma tecnologia inconclusa que põe em risco várias formas de comunicação em um espectro tão amplo. Tal decisão demonstrou que algo está muito errado na determinação de políticas públicas de comunicação de longo prazo no Brasil, especialmente na implementação de novas tecnologias.

Com isso abre-se espaço para a insegurança jurídica em telecomunicações, desperta a dúvida sobre a capacidade da tecnocracia em gerenciar o espectro radioelétrico diante do interesse público, promove o conflito desnecessário com agentes de comunicação social e indica a falta de planejamento do governo federal que - ao invés de eleger políticas tecnológicas limpas para uso de bens públicos - se mostra excessivamente adesista à manobra de setores econômicos com propostas tecnológicas ainda polêmicas, poluidoras e de concepção questionável.


Fontes:
QTC da LABRE-RS de 08/11/2009
PLC/BPL: Uma Tecnologia Poluidora, Dr. Flávio Archângelo

Sol novamente sem manchas solares

A mancha solar 1030 já desapareceu. A atividade solar permanece baixa.



sábado, 7 de novembro de 2009

Boletos 2010 - ANATEL


Os boletos para pagamento da Taxa de Fiscalização de Funcionamento e da Contribuição para o Fomento de Radiodifusão, exercício 2010, não serão enviados para os endereços dos prestadores de serviços de telecomunicações, mas estarão disponíveis para impressão no site http://sistemas.anatel.gov.br/boleto, a partir de 20/01/2009. O nº do Fistel a ser informado corresponde aos onze primeiros dígitos constantes do campo do boleto (Nº DE REFERÊNCIA OU  NÚMERO/FISTEL). Essa informação consta dos boletos já pagos pelos contribuintes em anos anteriores.

Fonte:  http://sistemas.anatel.gov.br/boleto (ao se logar no sistema)



quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Feliz Dia do Radioamador Brasileiro


O decreto n.º 16657 assinado pelo Presidente Arthur Bernardes no dia 5 de novembro de 1914 e publicado no Diário Oficial da União, regulamentou as estações de Radioamadores. O reconhecimento como dia Oficial do Radioamador Brasileiro foi aprovado por unanimidade pelo Conselho Federal da LABRE, como gratidão ao então Presidente Bernardes.

É importante lembrar, também, que dia 18 de abril é o Dia Internacional do Radioamador, em homenagem à Fundação da IARU, na França no ano de 1925.


Assim:
Dia 5 de novembro é o dia do Radioamador Brasileiro
Dia 18 de abril é o dia Internacional do Radioamador



quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Consulta Pública Número 40 - ANATEL



Proposta de Alteração do Regulamento sobre Canalização e Condições de Uso de Radiofreqüências na Faixa de 148 MHz a 174 MHz.

O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 22 da Lei no 9.472, de 16 de julho de 1997, e art. 35 do Regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações, aprovado pelo Decreto no 2.338, de 7 de outubro de 1997, e considerando o constante dos autos do processo no 53500.012170/2009, deliberou em sua Reunião no 542, realizada em 29 de outubro de 2009, submeter a comentários e sugestões do público em geral, nos termos do art. 42, da Lei no 9.472, de 1997, a Proposta de Alteração do Regulamento sobre Canalização e Condições de Uso de Radiofreqüências na Faixa de 148 MHz a 174 MHz, aprovado pela Resolução no 523, de 15 de dezembro de 2008.


Na elaboração da proposta levou-se em consideração:


1) a necessidade de adequar o uso de radiofreqüências nas referidas faixas, face à evolução tecnológica;


2) a necessidade de otimizar o uso das faixas de radiofreqüências, viabilizando diversas aplicações;


3) pleito de Órgão de Segurança Pública, no sentido de expandir os atuais sistemas;


4) pleito do segmento industrial, através de órgão representativo, no sentido de adequação de tabela de canalização à linha de produtos disponibilizada comercialmente;


5) o fato do espectro de radiofreqüências ser um recurso limitado, constituindo-se em bem público, administrado pela Agência; e


Como resultado da presente Consulta Pública, a Anatel pretende:

I – republicar com alterações o Regulamento anexo à Resolução no 523 de dezembro de 2008 e, conseqüentemente, revogá-la;

II – destinar as subfaixas de 164,60 MHz a 165,60 MHz e de 169,20 MHz a 170,20 MHz, adicionalmente, ao Serviço Limitado Privado (SLP), em caráter primário, sem exclusividade;

III – dar nova redação ao art. 2º da Resolução no 523 de dezembro de 2008:

"Art. 2º Manter a destinação das subfaixas de 148,00 MHz a 149,90 MHz, de 152,00 MHz a 152,60 MHz, de 152,60 MHz a 153,00 MHz, de 153,60 MHz a 154,50 MHz, de 157,45 MHz a 159,40 MHz, de 159,40 MHz a 160,60 MHz, de 160,875 MHz a 160,925 MHz, de 160,975 MHz a 161,475 MHz, de 162,05 MHz a 164,00 MHz, de 165,60 MHz a 169,20 MHz, e de 170,20 MHz a 174,00 MHz, ao Serviço Limitado Privado, em caráter primário; e,

IV – inclusão da Tabela C.1A do Anexo C.

V – dar nova redação ao art. 7º da Resolução no 523, de 15 de dezembro de 2008:

"Art. 7º Revogar a destinação das radiofreqüências 158,71 MHz, 163,31 MHz, 163,95 MHz e 163,97 MHz destinadas ao Serviço de Radio Táxi, estabelecida no Parágrafo único do art. 2º, bem como as radiofreqüências 159,35 MHz e 159,37 MHz, correspondentes aos canais 1 e 2 do Anexo VI, do Regulamento Anexo à Resolução no 239, de 29 de novembro de 2000, mantendo as autorizações existentes até o seu vencimento, permitindo, nos termos do art. 167 da Lei 9.472, uma única prorrogação pelo mesmo prazo da outorga original, devendo neste caso passar a operar em caráter secundário."

VI – dar nova redação ao art. 16 da Resolução no 523, de 15 de dezembro de 2008:

"Art. 16. A partir da publicação deste Regulamento, não mais serão autorizados sistemas com largura de faixa ocupada de 20 kHz, bem como sistemas analógicos, nas faixas mencionadas nos arts. 13 e 14".

VII – Manter os demais dispositivos da Resolução no 523, de 15 de dezembro de 2008.

O texto completo da proposta, em epígrafe, estará disponível na Biblioteca da Anatel, no endereço abaixo e na página da Anatel na Internet, a partir das 14h da data da publicação desta Consulta Pública no Diário Oficial da União.

As manifestações fundamentadas e devidamente identificadas devem ser encaminhadas exclusivamente conforme indicado a seguir, preferencialmente, por meio do formulário eletrônico do Sistema Interativo de Acompanhamento de Consulta Pública, disponível na página da Anatel na Internet no endereço http://www.anatel.gov.br, relativo a esta Consulta Pública, até às 24h do dia 2 de dezembro de 2009, fazendo-se acompanhar de textos alternativos e substitutivos, quando envolverem sugestões de inclusão ou alteração, parcial ou total, de qualquer dispositivo.

Serão também consideradas as manifestações encaminhadas por carta, fax ou correspondência eletrônica, recebidas até às 18h do dia 1º de dezembro de 2009, para:

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES
SUPERINTENDÊNCIA DE RADIOFREQÜÊNCIA E FISCALIZAÇÃO

CONSULTA PÚBLICA No 40, DE 30 DE OUTUBRO DE 2009

"Proposta de Alteração do Regulamento sobre Canalização e Condições de Uso de Radiofreqüências na Faixa de 148 MHz a 174 MHz".
Setor de Autarquias Sul - SAUS – Quadra 6, Bloco F, Térreo – Biblioteca
70070-940 – Brasília – DF
Fax: (61) 2312-2002
e-mail: biblioteca@anatel.gov.br


As manifestações recebidas merecerão exame pela Anatel e permanecerão à disposição do público na Biblioteca da Agência.

ANTONIO DOMINGOS TEIXEIRA BEDRAN
Presidente Substituto do Conselho




PLC/BPL - Internet pela rede elétrica


O Ministro da Comunicações, Hélio Costa, recentemente disse que a implementação da Internet pela rede elétrica (PLC/BPL) necessita de mais estudos para ser implementada, devido ao seu caráter gerador de interferências. Contudo, o sistema experimental da COPEL em Santo Antônio da Platina (Paraná) está gerando muitas interferências em todo o espectro de Ondas Curtas como demonstram gravações feitas.

A população em geral continua sendo "bombardeada" com a informação falsa de que a Internet pela rede elétrica será a grande solução para a inclusão digital de populações mais empobrecidas. As campanhas feitas nos meios de comunicações sobre esta tecnologia omitem duas importantes informações: o caráter gerador de interferências deste sistema e  que  o PLC não é de implementação barata, ou seja, terá que ser implementado em cidades com grande demanda pelo serviço. Ou seja, nada de inclusão digital em áreas remotas para populações mais empobrecidas.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Sol está sem manchas

Com a rotação da mancha 1029, fora da porção visível do Sol, não há manchas solares visíveis. A atividade solar permanece baixa.
 



segunda-feira, 2 de novembro de 2009